top of page

As 3 Etapas do Pensamento Socrático

 

- Patrick Modenesi

 

Costuma-se dizer que, desde muito jovem, Sócrates se interessou pelo estudo da filosofia, mas seu interesse logo se tornou frustração ao perceber a falta de acordo entre as várias teorias de sua época e como elas davam excessiva atenção a explicar as coisas materiais e seu funcionamento, e quase nenhuma a questões de cunho moral. A partir disso, começou a empreender uma "revolução" do pensamento, na qual a filosofia deveria se ocupar mais com as questões éticas, políticas e espirituais.

 

Ele também estabeleceu a ideia das Universais, uma espécie de Lei superior que rege todas as coisas e que dá razão (ratio) para elas existirem. Sócrates dizia que, das mais variadas coisas, tanto das externas, quanto das internas, podemos extrair uma lei universal que se aplicará a todas simultaneamente. Para isso, estabeleceu um método de três etapas: ironia, dialética e maiêutica.

 

A ironia socrática surge da própria máxima "só sei que nada sei", pois tendo sido considerado o homem mais sábio de seu tempo pelo oráculo de Delfos, Sócrates, imediatamente, questionou-se criticamente sobre isso e chegou à conclusão de que sua sabedoria consistia no fato de ele próprio ter consciência de sua ignorância. Para Sócrates o homem que não reconhece sua própria ignorância está fadado a permanecer nela, pois só pode aprender algo aquele que se coloca aberto para tal e sabe se colocar no seu lugar.

 

Uma vez libertos de tudo aquilo que julgávamos saber, podemos partir para a segunda etapa – a dialética. Esta consiste, basicamente, de diálogos ou debates onde juntos, busca-se encontrar a verdade (universal). Para tal, é necessário que ambas as partes desejem genuinamente essa verdade, mesmo que isso signifique descartar tudo aquilo que consideravam certo até então. A dialética perpassa um alto senso crítico diante de si e da realidade ao seu redor, a fim de nos libertarmos de ideias preconcebidas, minimizando nossas subjetividades, e podendo, assim, encontrar a objetividade (ratio) por detrás de todas as coisas. Para Sócrates, a verdade só é verdadeira se puder ser confrontada pela razão.

 

Essa segunda etapa é imprescindível para chegarmos à terceira, a Maiêutica. A expressão vem do grego maieutikê e significa, numa tradução livre, "a arte de ajudar a parir". Possivelmente influenciado por sua mãe, que era uma grande parteira, Sócrates acreditava ser incapaz de produzir saberes. Segundo ele "o Daimon que me obriga a fazer nascer impediu-me de produzir". Com isso, sua função era exclusivamente extrair, por intermédio de seus questionamentos, a verdade de dentro de cada ser, sendo ele próprio a causa, mas não a origem desse saber.



7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A História de Shiva

– Autor Desconhecido Há muitíssimo tempo, havia três grandes deuses, filhos do Grande Deus Desconhecido. Estas três divindades eram, como seu próprio Pai, imaculadas. Brahma, o primogénito, teve por t

O SER

Commenti


bottom of page